15 novembro 2011

Hora Errada

Página em branco. Vamos lá, tudo de novo?
Muitos pensamentos.
Não consigo traduzi-los, talvez não da forma correta.

E essa briga interna parece que vai se estender até essa dor de cabeça passar.
Talvez seja esse o preço a ser pago, por voltar a ser o que eu era.
Pensando bem, o único pensamento se resume em sufocar e matar

Esse sentimento...
Essa sensação de perda...
Porra, como é que se perde algo que não se tem?

Como é não ter nada...
Que merda de palavra é essa que sempre me escapa?
Não importa.

De nada valem as palavras, quando as atitudes ignoram tudo.
A pergunta certa é pra ser feita quando tudo for perdido.
E talvez, um pedido não seja atendido.
E talvez todo esse nada, seja tudo o que queria.

Mas pra que pensar no amanhã?
O agora é muito mais gostoso, não é?
Então vamos ver até quando e quanto eu agüento...

Palavras lidas pelas pessoas erradas.
Mas as músicas, essas estão todas certas.
Porque só os loucos sabem aceitar suas almas gêmeas exatamente como são.

(Acho que agora entendi tudo então...não existem almas gêmeas.
Eu não sou tão louco quanto pensava...e nada é exatamente como achei que era.
Ingenuidade minha, mais uma vez...)

E ainda bem que a razão sempre me encontra...
E me ensina a me calar na hora errada.
É nunca falo na hora certa.

escrito em 14-11-10
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: