22 novembro 2011

Resenha | Sucker Punch - Mundo Surreal

Viagem muito louca em filme sensacional.
Talvez seja uma boa forma de descrever a experiência de assistir Sucker Punch - Mundo Surreal (Sucker Punch, 2011). Alguns filmes, te prendem de tal forma que muitas vezes fica difícil não ficar ansioso, curioso pelo final. Juntando isso a grande produção, um diretor maluco e empolgado, cenas de ação sensacionais e um roteiro, que se não é primoroso, funciona de forma eficiente e a serviço do que a história quer contar, Sucker Punch é um daqueles filmes em que a empolgação é algo que vem naturalmente. Seja pela tensão das maravilhosas cenas de ação ou pela apreensão de como toda essa viagem louca vai terminar.

Zack Snyder prova que a visão diferenciada que mostrou em 300 e Watchmen é mesmo algo que se destaca em seu trabalho. O mundo que vemos em Sucker Punch é fruto da imaginação de Babydoll (Emily Browning), que, jogada em um hospício por seu padastro após a morte de sua mãe e a morte acidental de sua irmã mais nova, ele deseja lobotomizar a garota. A garota busca então na sua mente, uma forma de não só fugir da sua triste realidade, mas também como uma forma de reunir forças pra lutar e quem sabe, fugir desse pesadelo. Ela tem 05 dias para a fuga, e junto com Rocket (Jena Malone), Blondie (Vanessa Hudgens), Sweet Pea (Abbie Cornish) e Amber (Jamie Chung), tentará executar seu plano de fuga. Mas nada será tão fácil, pois terão que lidar com Blue (Oscar Isaac), espécie de administrador do hospício/bordel que não vai facilitar a coisa.

Snyder nesse filme, em que também assina o roteiro com Steve Shibuya, não se prendeu aos moldes de adaptações dos filmes já citados aqui. Teve nesse, a liberdade de jogar na tela todas as influências visuais e auditivas que permeiam sua mente. E o resultado, posso assim dizer, é primoroso. Para alguém que sempre viveu cercado de influências pop's, identificar cada uma delas na tela, é algo empolgante.
Começando pela referência ao teatro, na introdução ainda da película. Como forma de permitir as garotas se "expressarem". Sensacional! "Você controla esse mundo" - é o que diz a Dra. Gorski (Carla Gugino). E a partir daí, as possibilidades na mente de Babydoll, enquanto ela arquiteta seu plano (tocando Where Is My Mind de fundo...demais!), são infinitas. Partindo da entrada de Babydoll no templo, onde o sábio (Scott Glenn) lhe diz que ao pegar as suas armas, ela começará sua jornada, ai começamos também a embarcar na viagem que Snyder propõe.

Aproveitando que citei Where Is My Mind, a trilha sonora...tão boa quanto o restante do filme. Destaque para a própria Emily Browning cantando Sweet Dreams e a canção durante os créditos finais, Love Is a Drug, interpretada por Carla Gugino e Oscar Isaac
Apesar da mídia utilizada ter sido o cinema, Sucker Punch cairia como uma luva em uma adaptação para game, já que a linearidade do roteiro "utiliza" uma estrutura parecida. Cinco itens, sendo o último um mistério, divididos em mundos muito distintos onde a única coisa que liga eles é o objetivo que Babydoll e suas amigas buscam, que é a liberdade. Assim, do hospício ao bordel, do templo shaolin à primeira guerra alternativa (com mechas e soldados alemães zumbis), do castelo medieval ao planeta futurista, apesar de parecer um pouco confuso no começo, tudo fica claro conforme vamos entendendo que a forma de escapatória daquela loucura é o que nos leva a essa viagem.

Viagem que nada mais é uma busca pela liberdade, como já disse antes. E respostas para as perguntas sobre o tudo o que o acontece, e o porque acontece. Ou seja, em meio a toda a loucura das cenas de ação, que são sensacionais, temos a questão do auto-conhecimento. E descobrir em si o que traz forças para superarmos as maiores dificuldades.
Em resumo, é o primeiro passo que o diretor Zack Snyder dá para mostrar que é mais do que só um diretor que faz ótimas adaptações. Com uma ideia original e uma imaginação (e tecnologia) a disposição, e claro, com a ajuda de um elenco muito afinado, fez mais do que bonito em sua primeira empreitada original.

Finalizo esse post sobre esse filme, que com certeza entrou na minha lista seleta, com a citação do sábio que diz: "Se não se impõe por alguma coisa, cairá por qualquer coisa."

Assistam o filme, vale a pena. E a resposta...talvez todos já sabíamos. Só faltava ver o lado certo.

Avaliação do Alter Ego:


Trailer:


Ficha Técnica:
Sucker Punch - Mundo Surreal (Sucker Punch) - 110 min. - 2011 - EUA/Canadá - Ação/Ficção Cientifíca/Fantasia
Direção: Zack Snyder
Roteiro: Zack Snyder, Steve Shibuya
Elenco: Emily Browning, Abbie Cornish, Jena Malone, Vanessa Hudgens, Jamie Chung, Carla Gugino, Jon Hamm, Scott Glenn, Oscar Isaac, Vicky Lambert, Ron Selmour, Danny Bristol, Malcolm Scott
Site Oficial: http://wwws.br.warnerbros.com/suckerpunch



Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: