11 julho 2012

Devagar e sempre...

Atravessando a rua...
...foi isso o que pensei quando vi uma tartaruga atravessando a rua hoje. Sim, verdade. O trânsito parou...mais do que quando a morena linda tropeço do seu salto nº 15 e mostrou a calcinha branca. E enquanto isso, ninguém via a velhinha sendo assaltada do lado dela.

Chamou a atenção de tudo e de todos e do tudo e também, porque não, do nada.

O trânsito voltou, a morena se levantou, a velhinha gritou e bateu no meliante que foi levado pela polícia. Não conseguia sair do local pois a tartaruga, ainda atravessava a avenida. Faltavam duas faixas da faixa de pedestre para chegar na metade do caminho quando um caminhão à toda velocidade passa numa poça d'água e molha um executivo que falava ao celular.

A tartaruga olhou bem devagar pra trás...parecia até que tinha dado uma risada do homem que agora xingava freneticamente. Sinal vermelho respeitado. Um grupo de turistas passa pelo local. Eu continuo ali parado sem reação.

Uma moça de cabelos longos pede para o motorista parar. Desce com um pedaço de pão e deixa perto da pequenina. "Pow...assim não saio daqui hoje!!!!" - grita um homem pendurado numa escada. Mexia na fiação telefônica de uma empresa ali em frente.

Tudo para novamente e ficamos lá eu, o cara da escada, a moça do busão olhando aquela cena. Em meio a selva de pedra, uma prova de superação da  natureza e..."Jurubeba minha filha, volta logo aqui!".

Lembram da velhinha que tinha sido assaltada? Pois bem...Jurubeba, a tartaruga, é dela. Quando a danada tava chegando do outro lado da avenida a veiá correu e pegou a bendita. Colocou na bolsa, entrou num táxi que tava encostado ali e foi embora.

Todos voltaram a suas vidas medíocres.
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: