20 dezembro 2013

Combustível, Palavras e Vida

Tenho dito bastante nos últimos dias que "o bem atrai o bem..." e tudo mais o que é positivo.
Confesso que nem tudo são flores aqui dentro.
Ainda tem um vazio, sendo preenchido é fato.
Ainda tem uma ferida, cicatrizando tão rápido quanto as tatuagens.
O sorriso voltou a ser sincero.
Olho aos céus e agradeço a cada dia por estar vivo e perceber os detalhes que estavam embaraçados.
Olho aos céus e ainda peço pelo bem em comum e percebo os dias passando e algo se perdendo.
(parei pra assistir o The Voice...)
E voltei olhando pra mim mesmo
Voltei olhando de forma diferente o que sempre via do mesmo jeito.
E morre um pouco ali, esquece um pouco acolá.
Cada nova manhã, um novo sentido, um novo motivo, um novo viver.
Acredito ainda no amor, nas coisas boas da vida.
Na música, minha família, amigos e cerveja gelada no fim do expediente.
Acredito ainda no que sou, no que vou ser e o que fui...foi bom enquanto durou.
Arrepender-se é para os fracos que colocam no destino a culpa de seus fracassos.
Prefiro aprender com os erros, encarrar as consequências.
Agradar a mim mesmo...é algo que não consigo fazer.
Essa síndrome de querer salvar o mundo vai me perseguir sempre e, disso sim, desisto de lutar contra esse Alter Ego.
"Lembro de você...do seu cabelo ao vento." - e me lembro da música que nunca ouvi, na voz de um cara que nunca vi e que me fez sentir algo que nunca senti.
Recomeçar dessa vez não vai ser tão difícil...conto comigo e o mundo está do meu lado.
E mesmo quando não estiver, sou forte, sou emoção, corpo, alma e coração.
Transformar o medo em combustível para uma nova chama...que queime, acenda e ilumine minha vida.
Palavras bonitas em teoria, luta diária na prática.
O ano novo começa quando a gente abre os olhos e vive a vida.
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: