28 janeiro 2014

Um Celular e Dorgas

Eu nem ia compartilhar essa história, mas é algo que me deixou refletindo essa noite...
Achei um celular...no ônibus, no caminho de volta pra casa...confesso que peguei-o do chão em um reflexo normal...e o guardei.
Pensei em desliga-lo, em jogar o chip fora e vender para comprar dorgas...(brincadeirinha) mas resolvi, ao invés disso, esperar chegar em casa, que diga-se de passagem está se tornando uma vizinhança perigosa tendo em vista tantos assaltos recentes, e ligar para algum número da agenda.
O celular tocou assim que o deixei para carregar...era a irmã da proprietária do celular.
Entendo que a desconfiança seria normal você querendo falar com a sua irmã e um cara atende. Expliquei a situação e me ofereci para devolver algo que não era meu...incrível o espanto na voz do outro lado da linha por ter uma pessoa disposta a devolver um celular nos dias de hoje.
Minutos depois, o celular tocou novamente, era o noivo da proprietária, Luis. Expliquei a situação e me dispus a entregar o celular em algum lugar. A desconfiança de volta no tom de voz, mas acho que o que mais assustou foi a minha tranquilidade ao querer devolver algo que não era MEU!
"Cara, acabei de chegar do trabalho, mas desço ali na FIEO, que é um lugar com movimento esse horário, e entrego o aparelho"
"Não, não...faz assim, me passa seu endereço e vou busca-lo...jogo no GPS e pego ai com você."
"Ok...melhor ainda"
O espanto foi maior ainda...
"Alô...Luis, está ai?"
"Estou sim, saindo de casa, já chego ai..."
"Beleza, o endereço é Rua do QG do Leitão..."
Minutos depois, chega o Luis...não acreditando que estava reavendo o celular perdido por sua amada.
"Cara, muito obrigado, era o terceiro que ela perde em seis meses..."
"Sei como é cara, perder algo seu...pede só pra ela ter mais atenção...rs"
"Cara, vou te dar algum trocado..."
"Não precisa se incomodar, não foi nada..."
O sorriso incrédulo daquele sujeito era algo que me deixava mais incrédulo ainda de acredita que realmente as pessoas não acreditam mais no bem hoje em dia...até que o bem acontece.
Algo simples, um celular, mas que fará com que a noite de alguém seja mais tranquila.
Fazer o bem não importa a quem...ganhei o dia
E o melhor de tudo, a minha consciência está tranquila...afinal, não é fácil fica livre das dorgas e salvar o mundo das cáries. :D
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: