21 julho 2014

Guns N' Roses - Nightrain

Após marcação do brother...
...Rodrigo Medina (visitem o blog dele, A Esta Hora, O Discurso...ou melhor, do Teddy Villar, desculpa man..rs) em um dos vários post sobre a sua banda preferida, e na minha lista de bandas mais fodas do rock, o Guns N' Roses, me veio uma ideia simples e que compartilho com vocês nesse post.

Há algum tempo o Guns reformulou toda a sua formação e as críticas foram inevitáveis. Desde os quilos a mais de Axl Rose, até a formação com excessos de produção (e guitarras).

Contudo esse post vem comprovar algumas coisas e nessa viagem no tempo, compartilho com vocês, três versões da mesma música...ouçam sem medo!!!
Guns N' Roses - Nightrain (Live At The Ritz 88)
A banda era aquele estouro que a história nos conta...e com a formação clássica, temos aqui um som mais cru e pesado. Destaco a apresentação de Axl da banda, e procurando entender como tanta camaradagem acabou indo por água abaixo, e o "oferecimento" de Slash a um público bem peculiar da banda.

Ah, e nada de babar nos solos fenomenais do guitarrista mais íconico do rock n' roll:


Guns N' Roses - Nightrain (Tokyo 92')
O ápice de SUPER banda, e o salto de quatros parece que fez muito bem pra banda!

Destaque nessa versão para o puta alcance vocal que Axl consegue...com certeza o auge da sua forma vocal!!! Mas dá pra perceber uma certa "distância" se compararmos com performance de quatro anos antes dessa.

Mas é uma puta apresentação. E não só do seu vocalista, mas a banda como um todo...não babe muito durante o solo de Slash (de novo?):

Guns N' Roses - Nightrain (Live at The Forum - 21/12/11)
Uma intro de respeito, no melhor da jam session. DJ Ashba e Richard Fortus montam riffs sobre uma base bacana de Tommy Stinson no baixo e Frank Ferrer, na batera, enquanto Ron Bumblefoot Thal viaja em sua guitarra de dois braços.

Um Axl que mostra como o tempo passou. Mas como todo Whisky bem envelhecido, se falta a potencia vocal da juventude, sobra em experiência para entender as nuances de uma música que poderia ser estragada por qualquer jovem empolgado tamanha a qualidade musical que sua banda atual demonstra.

E se não temos Slash, temos um Ron Bumblefoot Thal, que me desculpem os saudosistas, não deve em nada para o cabeludo de outrora.

E com esse post gostaria de mostrar que sim, uma banda pode manter a mesma qualidade, sabendo que se reiventar é respeitar o que já foi feito, mas com uma postura única. Axl sempre será Axl, mesmo não tendo mais os agudos estridentes de antigamente.

Uma pena só que uma banda tão extraordinária tenha sofrido com tantas brigas e polêmicas. Mas ainda bem que no final das contas, sempre teremos o bom e velho rock para nos salvar!

O tempo passa para todos nós e o novo Guns N' Roses nos mostra que ficar mais velho não significa piorar.
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: