02 fevereiro 2016

Sobre Remar e Necessidades

Remar contra a corrente,
às vezes é a melhor do que se sentir bem.
Talvez pelo desafio imposto,
pelo desconhecimento de algo novo.

Ou pelo simples fato
de não ter respeito,
ser mais do mesmo
em relação a natureza...a si mesmo.

Andar pra trás,
às vezes é a melhor forma de se consertar,
de fazer arte (leia graça).

Talvez pela estranheza proposta
por se fazer algo que a maioria não faria.
Ou pelo simples fato
de não ter coragem pra encarar
o que vem em seguida...medo da surpresa.

Gritar bem alto,
às vezes é a melhor forma de colocar pra fora
algumas angústias, de expressar sua liberdade.

Talvez pela liberação de energias negativas
e a sensação de leveza.
Ou pelo simples fato de não ter argumentos
para expressar sua vontade...aquilo que realmente precisa.

Fechar os olhos,
às vezes é a melhor forma de conseguir
olhar dentro de si, de enxergar o que o coração fala.

Talvez pelo momento de paz que toma conta
e o enfrentamento do real "eu".
Ou pelo simples fato de não ter o senso de saber pra onde se vai,

E é esse o melhor caminho para melhorar a vida...melhorar aquilo que não mais se precisa.
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: