15 agosto 2012

Sistema

Quando o sistema trava
A minha paciência esgota
O cansaço bate na minha porta
Vou me embora logo pra casa

Vou descansar a minha cabeça
Vou descansar a minha alma
Vou descansar a minha garganta
Vou descansar a minha ignorância

Após oito horas de batalha
Mais duas pra chegar em casa
Busão lotado, stress em alta
Refúgio esperto encontrado no MP4

E de nada adianta, a soneca é curta
Nada de ir pra casa agora, o conhecimento me espera
Alimento minha cachola com informações desnecessárias
Informações primárias, que salvarão um dia

E espero um dia, em que a ajuda venha
E que o sistema me ajude a não ser mais um parasita
E que eu fuja desse sistema capitalista
Vou lá pra praia, eu e minha viola, de bermuda e sandália


*escrito em 14/10/2008
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: