03 agosto 2011

No Way...

Não consigo ficar desligado não.
Aqui parece a Marginal Tietê na hora do rush
E se o rush foi inimiga da perfeição...
...alguém me explica o que tá falando na imperfeição.

E por mais que as palavras pareçam desconexas,
Sempre há a esperança de que como aquele puta quebra-cabeça
Tudo se encaixe e a mensagem seja compreendida.

In a bottle?
Talvez...
...não paro mais pra pensar onde a garrafinha vai parar.

Que alguém leia e entenda.
Sempre haverá um olhar, perdido no horizonte.
Um mapa?
No, thanks mas prefiro a segurança do incerto.

E que a cada nova aventura na selva de pedra,
O sangue que escorre da pedrada seja a cicatriz
Que vai me mostrar que nada é como se sonha...
...mas sim como se busca.

De mão beijada é o caralho!
Vou ralar, quase me matar e com orgulho vou olhar pro meu futuro,
Amanhã passado, pretérito quase perfeito
Com o pretexto de apenas dizer com o peito aberto:
There's no way to stand still right here!

Indo em frente...
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: