18 agosto 2012

Mesma Cama

Ilustração: autor desconhecido

Só aprendeu a usar o vaso porque cagou nas calças.
Mas tudo é culpa da vida...certo?
É uma eterna renovação.
Sempre mudando, sempre enganando
E o coração permanece o mesmo

Mesmo que a merda empreguine na calça,
Sempre teremos a água para lavá-la.
E acaba o ano, eu nem tô ligando
O meu calendário parece que não mais acompanha
A sua ilusão de novela bacana.

E peço desculpas, a culpa não é sua
Pois só porque você se perdeu na sua casa,
Pois só porque você se matou na sua rua...
...eu peço desculpas, a culpa é toda nossa.

Vou escrevendo palavras e nada disso me agrada.
Vou caminhando na estrada, e não é a minha escolha.
Todos empurram, "calma ai, uma curva".

A paisagem é tão bela mas nem dá pra ser vista
A queda é tão rápida que nem o grito ecoa
O céu é púrpura, a viagem é longa
A noite, o dia, tudo se mistura
O ano começa e nem me alarda.

Minha vida recomeça toda dia na mesma cama.
*escrito em 31/12/2008
Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: