08 dezembro 2015

Tudo de Novo

De repente sentiu a necessidade de diminuir o ritmo.
Não, não eram férias, não era folga.
Só aproveitar mais a paisagem cinza lá de fora.

De repente sentiu a necessidade de tomar um fôlego.
Não, não era cansaço, não era falta de vontade.
Só sentir o ar tomar conta dos pulmões de maneira plena.

De repente sentiu a necessidade de ler mais um pouco.
Não, não era por falta de rotina, não era por perda de gosto.
Só querer perceber cada palavra como única.

Os pensamentos que cruzam mais uma vez o pensamento
Não são mais tão bagunçados quando da última vez.
O vai e vem de emoções agora é mais controlado
E aprender a saber a hora certa é algo que requer (muita) prática.

Percebendo que assim como todo músculo do corpo,
O coração sempre precisará ser treinado.
Ok, vamos parar por hoje.
Lembranças em vão que não trarão nada de volta.

De repente sentiu a necessidade do amanhã.
Não por desprezar o passado, muito menos o agora.
Só por enxergar que isso é uma fase, logo passa.

Foi assim ontem, está sendo hoje e será outro dia, amanhã.
E que ele venha, e seja essa dádiva, esse presente.
Que se aproveite...sorria mais...leia mais...observe mais.

De repente a felicidade bate na porta e começa tudo de novo!



Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: