17 dezembro 2015

Jessica Jones (1ª Temporada)

Esperei alguns dias para falar de Jessica Jones...
...de uma maneira mais precisa e correta. E também esperei o hype, escapei de alguns spoilers e agora vai. Porque sim, a série, segunda da parceria Marvel/Netflix, mantém o excelente nível de qualidade que Demolidor (leia aqui o que falei sobre) entregou. E expande de uma forma única o universo da Marvel em seu mix entre TV e cinema.

Adaptada no mesmo clima realista da sua série "irmã", "Jessica Jones" (2015) no apresenta a essa investigadora particular, que, com o passar do episódios, vamos descobrindo ser uma super-heroína com uma aposentadoria forçada e que agora atua como investigadora particular na mesma Hell's Kitchen que o advogado cego. Mas, o seu passado, que é cheio de traumas e conflitos, acaba por retornar Jessica (a competente Krysten Ritter para o seu "destino".

Mas a série é muito mais do que uma super-heroína com traumas que precisa voltar a salvar o dia. Com uma ousadia que nunca foi vista antes em séries de super-heróis, a criadora Melissa Rosenberg (Dexter, pra citar um bom exemplo vai...) resolveu usar o pano de fundo da série para colocar questões muito mais adultas e sérias na série. Os traumas de Jessica são na verdade uma forma de conduzir a trama para algo além e muito mais ousado do que qualquer outra série fez antes: mostrar como os relacionamento abusivos são uma realidade cada vez mais presente na atual sociedade.
O clima é pesado e algumas cenas são o que tornam a série um divisor de águas na história recente da Marvel em suas adaptações, sejam no cinema ou na TV.

Não são precisos super-poderes ou dons especiais para entender que o que Jessica sofreu e sofre em parte da linha "atual" da série é consequência de um relacionamento que causou feridas nada fáceis de serem esquecidas e digeridas. Ai que está o maior trunfo de Jessica Jones: não ter medo de ser realista em mostrar essa faceta.

Feridas essas causadas por esse que é sem dúvida o vilão mais FILHO DA PUTA (desculpem-me os puritanos, mas irão entender quando assistirem a série) que a Marvel já teve, tem, ou terá em seu universo. Killgrave (interpretado magistralmente por David Tennant) é a síntese de loucura e insanidade que um vilão tem que ter, aliado a um carisma que quase engana o espectador. A culpa é a entrega com que Tennant se doa ao seu personagem e que com certeza integra o hall dos melhores vilões de uma história de todos os tempos.
Uma pena só, são os episódios que nada ajudam em nada na trama. Alguns personagens são totalmente descartáveis sim (pobre Carrie Ann-Moss, com uma personagem tão fraca) e os poucos coadjuvantes que se destacam, não tem o tempo necessário em tela que deveriam ter.

Como exemplos temos a melhor amiga de Jessica, Trish Walker (papel da bela Rachael Taylor) que funciona como um pendulo para nossa heroína e que graças a química bacana entre as atrizes, a amizade das duas se torna em muitos momentos o alívio que Jessica precisa em meio ao caos que vive. E temos também, o próximo da lista de séries da parceria Marvel/Netflix, Luke Cage (Mike Colter). Evitando entregar demais, a importância de Cage na história se concretiza já na primeira metade da temporada e com algumas pistas do que teremos na série que levará o seu nome no título.

Falando em pistas do futuro da Marvel na telinha, easter eggs e referências aos eventos dos filmes anteriores (mais precisamente os eventos de Os Vingadores), essas tem aos montes durante toda a temporada, mas confesso que não me liguei em muitas delas por não conhecer nada da personagem nas HQ's.
Fato é que a produção de Jessica Jones é quase impecável, com exceção de alguns efeitos um pouco apressados durante alguns episódios. A direção dos episódios de uma maneira geral, fica abaixo de Demolidor, mas não perde a mão urbana e mais realista que a Netflix tenta colocar como marca de suas séries com a Marvel.

O gancho para uma nova temporada existe e é fato que ela irá acontecer. Contudo, temos um evento maior envolvendo esses personagens que estão com o serviço de streaming. Os Defensores é a aposta máxima dessa parceria e ainda contarão com o já citado Luke Cage e Punho de Ferro e talvez essa segunda temporada venha somente após o lançamento dessas séries. Ou até para um pouco depois disso, já que uma série do Justiceiro já foi cogitada.
A parceria da Netflix/Marvel comprava ser mais do que acertada, contudo, Jessica só não se sai melhor pelo roteiro que se confunde um pouco e diálogos que poderiam ter sido melhor trabalhados. O que não tira os méritos da série e que merece a sua audiência pois com certeza é uma das melhores coisas que você vai assistir relacionada a uma super-heroína na TV.

TRAILER


FICHA TÉCNICA
Jessica Jones (Marvel's Jessica Jones) - 2015 - 60 min. (episódio) - EUA - Ação/Aventura/Drama
Direção: Vários
Roteiro: Vários
Elenco: Krysten Ritter, David Tennant, Mike Colter, Rachael Taylor, Carrie-Anne Moss, Eka Darville, Erin Moriarty, Wil Traval
Site Oficial: http://www.netflix.com/title/80002311




Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: